Ventilador pulmonar de transporte e de UTI: qual a diferença?

April 25, 2019

Ventiladores pulmonares têm uma função primordial na manutenção da vida, desde o suporte respiratório para indivíduos em recuperação pós anestesia, ou simplesmente, por diminuir o trabalho muscular respiratório e otimizar as trocas gasosas em pacientes com sinais clínicos de desconforto ou insuficiência respiratória. Essa necessidade pode se apresentar em diferentes situações e, por isso, há diversos tipos de ventiladores mecânicos, adequados a cada um dos casos. Entre os principais tipos, estão os ventiladores pulmonares de transporte e os ventiladores de UTI. Você sabe o que os difere?

 

Ventiladores de transporte

 

Ventiladores de transporte são usados em pacientes que necessitam do suporte respiratório enquanto são deslocados em curtos trajetos ou por curtos períodos de tempo. Isso ocorre quando um paciente que já está em uso de ventilação mecânica é transportado de um hospital a outro, por exemplo. Ocorre também com vítimas de acidentes ou de mal súbito, do local onde foram socorridas até um hospital. Esses mesmos ventiladores são usados no que chamamos de transporte intra-hospitalar, aquele feito dentro de um mesmo hospital, seja para mudar o paciente de ala ou para levá-lo até áreas externas para banhos de sol e práticas de atividades físicas. Aliás, devemos destacar que graças aos ventiladores de transporte essa prática é possível com mais segurança, trazendo muitos benefícios ao processo de recuperação.

 

Por serem utilizados em transporte e, muitas vezes, na condução de pacientes em situações emergenciais para que cheguem ao hospital estáveis clinicamente, os ventiladores de transporte precisam ser práticos de manusear e transportar. Isso envolve que sejam mais compactos, fáceis de manipular, e que apresentem a totalidade das opções de funcionamento em uso de bateria por um longo período de tempo não desconsiderando que para isso, estes sejam menores e mais leves. Assim, podem acompanhar o paciente sem riscos e inconvenientes. O tamanho compacto permite que sejam instalados em aeronaves paramédicas, ambulâncias e viaturas, mesmo quando o espaço é limitado.

 

Também é importante que os ventiladores de transporte sejam adequados a diferentes perfis de paciente, pois uma ambulância que acaba de atender a um idoso pode, instantes depois, ser requisitada para o resgate de um bebê, por exemplo. Assim, o veículo de atendimento, seja qual for, não precisa ter mais de um respirador em sua estrutura, já que um único aparelho é capaz de atender a todos os biotipos de paciente e diferentes faixas etárias. Suas configurações devem ser simples a ponto de permitir que essa troca de perfil seja feita de forma rápida. Quando exige tempo reduzido para ajustes e configurações, o aparelho facilita e otimiza o trabalho de equipes de resgate.

 

Ventiladores pulmonares de UTI

 

Como o nome indica, atendem pacientes em terapia intensiva, seja qual for a motivação: pacientes com doenças cardiorrespiratórias crônicas, recém-operados, vítimas de traumas, entre outros casos. Nesse contexto, fica fácil imaginar o quão relevantes são os ventiladores mecânicos para a estabilidade e a recuperação dos pacientes de UTI e também para o monitoramento do seu quadro, permitindo, sempre que necessário, intervenções rápidas e assertivas da equipe médica responsável.

 

De acordo com a Sociedade Paulista de Terapia Intensiva¹, estima-se que 40% dos pacientes internados em unidades de terapia intensiva fazem uso de ventilador pulmonar mecânico, pois seus quadros não permitem que o organismo, sozinho, mantenha o processo respiratório de forma espontânea. É importante que as UTIs sejam dotadas das melhores tecnologias, de modo que possam oferecer os recursos adequados às equipes especializadas que atuam nessas unidades.

 

Um ventilador de UTI deve possibilitar diferentes modos de operação e controle que se ajustem às necessidades dos diversos quadros presentes em uma unidade de terapia intensiva. Nesses locais, o ventilador monitora continuamente a pressão das vias aéreas, as taxas de respiração forçada e espontânea, a concentração de oxigênio e outras variáveis que permitem acompanhar o progresso do paciente. Também nas UTIs, assim como em transporte, é fundamental que os ventiladores tenham uso simples, pois isso agiliza o atendimento e preserva tempo para ser direcionado a outros cuidados.

 

Seja em transporte ou no atendimento em UTIs, os ventiladores mecânicos são extremamente importantes para a vida. Sendo tão expressiva sua participação na manutenção de um quadro estável e de progresso de saúde, é fundamental que as instituições disponibilizem aparelhos modernos e adequados aos diferentes tipos de atendimento, com interfaces de uso fácil, que otimizem o trabalho das equipes médicas e tragam ganho de tempo para um melhor cuidado do paciente.

 

REFERÊNCIAS:

 

1. http://www.sopati.com.br/lermais_materias.php?cd_materias=41&friurl=_-40-dos-pacientes-de-UTI-sao-submetidos-a-ventilacao-mecanica-_Acesso em: 22/04/2019.

 

 Imagem: por rawpixel.com - www.freepik.com

    Please reload

    Posts Em Destaque

    Transporte aéreo investe em tecnologia de ponta para ganhar mercado

    July 16, 2016

    1/1
    Please reload

    Posts Recentes